Nossos Cursos

Projeto Político Pedagógico

“A educação exige os maiores cuidados, porque influi sobre toda vida” (Sêneca)


btn-propostapedagogica-a017c9fb_b4fdb205e6f427d5b2d6.png

   

1. Introdução

   O Termo projeto vem do latim “projectu”, que significa lançar para adiante. Projetar, então, é estabelecer um plano, um intento, um desígnio. Tendo essa perspectiva, a construção de um projeto se remete a uma reflexão do que queremos, do que sonhamos, do que desejamos. O projeto é o vislumbre da construção/ Estruturação de algo novo ou a ressignificação de algo já existente.

   Tratando-se de um documento “orgânico /vivo”, cumprindo e baseando-nos nas leis que nos regulamenta Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996, a LDB; bem como, nas alterações propostas pela sanção da Lei 13.415/2017 referente as implementações do Novo Ensino Médio da BNCC Base Nacional Curricular Comum. Nos empenhamos  a repensar todos os segmentos de ensino de nossa instituição, especialmente no que se refere ao Ensino Médio.

    O Novo Ensino Médio adota a flexibilidade como princípio da organização curricular, o que permite a construção de um currículo com propostas pedagógicas que atendam às especificidades locais e a multiplicidades de interesses dos estudantes. 

   O documento supra citado, tem a função primordial  de nortear todo trabalho desenvolvido em toda dimensão física, filosófica e metodológica  de nossa escola de forma responsável, digna, criativa, respeitosa, dinâmica, interativa e centrada no melhoramento de vida de todos que dela fazem parte direta ou indiretamente. 

    Subsidiados na proposta que segue, o Currículo de Sergipe – Etapa do Ensino Médio que traz o aporte essencial para o trabalho docente, por meio  da apresentação  das concepções  teórico-metodológicas nos organizadores Curriculares de todos os componentes da Formação Geral Básica (FGB) e nos Planos de Atividade Docente de todas as Atividades Integradoras dos Itinerários Informativos(IF), assim como orientações especificas e significativas para o Projeto de Vida o que consideramos “carro chefe” de toda essa proposta inovadora. 

Objetivando atender as demandas socioeducativas, culturais, ambientais e emocionais de nossa comunidade, bem como do entorno ao qual  a mesma encontra-se inserida. Integrando saberes, vivências, memórias e tradições que configuram os ritmos e impactos para o coletivo/ pluralidade. Tendo como princípios uma gestão democrática, participativa e solidária. Nosso PPP é ético  em todos os âmbitos, pois temos como propósito valorizar vidas. Considerando o que colocou com muita maestria Anísio Teixeira: “A escola tem que dar ouvidos a todos e a todos servir. Será o teste de sua flexibilidade”.   

 

 

2.   Justificativa

“A razão nos dá a capacidade de análise, enquanto o coração, a de participar.” 

                                                                                                                                             (Pedro Demo)

   

   O atual cenário educacional fortalece cada vez mais, uma postura protagonista do estudante. Sendo esse autor de sua história, de sua existência em todos os âmbitos da sociedade. Reconhecendo e valorizando suas peculiaridades (essência), propondo-se a uma constante transformação, sendo um ser de transição, no entanto, fortalecendo suas raízes. Vivenciando sua criticidade de forma digna, comprometida, honesta e humanizada, vislumbrando um melhoramento do bem universal.

   O colégio CEA, assume esse compromisso social, cognitivo e humano de formar/ desenvolver pessoas equilibradas emocionalmente ( com auto gestão emocional ), competentes em suas funções intelectuais e humanas, a serviço de uma sociedade plena.

Preparando essa geração para os desafios do século XXI, reforçando diversas habilidades cognitivas, sociais, emocionais e éticas. Oferecemos uma proposta pedagógica arrojada, com metodologias ativas, dinâmica, atualizada, desafiadora, criativa, integrada e alinhada ao que propõe a Lei 13.415/2017 ( BNCC – EM).

Oferecendo um ambiente escolar harmonioso, seguro, confortável, estimulador e favorável ao desenvolvimento cognitivo e sócio emocional em sua plenitude. Com reflexões sobre a importância da continuidade e conclusão dos estudos (Ensino Médio), já com vislumbres, ou seja, perspectivas nas dimensões da vida profissional.

   Sendo sancionada  a Lei 13.415/2017 que altera a Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996 , a LDB; os estados iniciaram o caminho que levará o cumprimento da lei do Novo Ensino Médio. Para atender a Lei  o Ministério da Educação  em 04 ( quatro) de dezembro de 2018 por meio do parecer CNE/CP n° 15/2018 instituiu a Base Nacional Comum Curricular do Ensino Médio ( BNCC- EM) e orientação  aos sistemas de ensino e as instituições e redes  escolares para sua implementação, em regime  de  colaboração entre os sistemas de ensino , nos termos do Art. 211da Constituição Federal e Art. 8 o da Lei 9.394/1996(LDB).  

    O trabalho na reconstrução/ressignificação do Novo Ensino Médio, bem como demais segmentos escolares, tem sido desafiador em todos os âmbitos, contudo muito gratificante, de fato um marco histórico de grandioso  valor para todos que dele fazem parte, ou seja toda sociedade.

Desde as primeiras reuniões / encontros nesse sentido, muito veem sendo feito para que a Secretaria do Estado da Educação, do Esporte e da Cultura de Sergipe  atenda ao cronograma definido pelo MEC e apoie suas Instituições Educacionais na transição.

A Lei 13.415/2017 traz algumas alterações significativas para o Ensino Médio, entre elas; o artigo 35-A que vincula a Base Nacional Comum Curricular aos direitos e objetivos de aprendizagem do Ensino conforme diretrizes do Conselho Nacional de Educação, nas seguintes áreas do conhecimento: I-Linguagens e suas tecnologias; II- Matemática e suas tecnologias; lll- Ciências da Natureza e suas tecnologias; lV- Ciências Humanas e Sociais aplicadas; a parte diversificada dos currículos definida em cada sistema de ensino, deverá estar harmonizada à Base Nacional Comum Curricular e ser articulada a partir do contexto histórico, econômico, social, ambiental e cultural; ratifica a obrigatoriedade de estudos e prática de Educação Física, arte, sociologia e filosofia, e de Língua Portuguesa e Matemática nos três anos do Ensino Médio, assegurada às comunidades indígenas, também, a utilização das respectivas línguas maternas; revoga a Lei 11.1161/2005; e afirma que os currículos do Ensino Médio incluirão em caráter obrigatório a língua inglesa e poderão ofertar outras línguas estrangeiras, preferencialmente o espanhol a considerar a disponibilidade da oferta, locais e horários definidos pelos sistemas de ensino.

A Lei do Novo Ensino Médio estabelece que a carga horária destinada ao cumprimento da BNCC não poderá ser superior 1.800h ( mil e oitocentas horas) do total da carga horária do Ensino Médio Convencional que deverá passar a 2.400h ( duas mil e quatrocentas horas )para 3.000h ( três mil horas ). A Lei assevera que os currículos do Ensino Médio devem priorizar a formação integral do estudante e desenvolver um trabalho voltado para a construção de seu projeto de vida e para sua formação nos aspectos cognitivos e socioemocionais.    

    Assim, em seu artigo 36, a Lei estabelece que o currículo do Ensino Médio será composto pela Base Nacional Comum Curricular e por itinerários formativos, que deverão ser organizados por meio da oferta de diferentes arranjos curriculares, conforme  a relevância para o contexto local e a possibilidade dos sistemas de ensino pautada na legislação acima e nos materiais de apoio para implementação do Novo Ensino Médio e na BNCC bem como na secretaria de cada Estado de acordo com suas especificidades. 

   O Ensino Médio, etapa final da educação básica, com duração mínima de três anos, terá como finalidade: l - a consolidação e o aprofundamento dos conhecimentos adquiridos no Ensino Fundamental, possibilitando o prosseguimento de estudos.

   Considerando que desenvolver um trabalho dessa magnitude não seja uma tarefa fácil, contamos com parcerias indispensáveis como uma equipe de profissionais comprometidos, competentes, humanizados,  bem como os familiares para que de mãos dadas num relacionamento respeitoso e harmonioso, possamos caminhar nesse trajeto surpreendente e grandioso que é a “formação” de um ser em sua plenitude cognição/ emoção e espiritualidade. Nesse sentido salientamos o proverbio africano que diz:      “ Se queres ir rápido, vás sozinho. Se queres ir longe, vás acompanhado”

   Diante do exposto, apresentamos essa proposta, no sentido de cumprir a legislação em tela, atendendo a demanda que urge aos estudantes, mobilizando conhecimentos que possibilitam a eles o prosseguimento dos seus estudos, colocando como prioridade sua formação integral e sua inserção no mundo do trabalho ou no nível superior, se estiver em consonância com seu projeto de vida.

 

3.   Objetivo

 

   O presente Projeto Político Pedagógico, tem como premissa possibilitar a formação do educando para o desenvolvimento de valores éticos, visando o seu desenvolvimento integral, preparando-os para o exercício de cidadania, para o mundo do trabalho, a partir da construção do conhecimento e da tomada de consciência que se concretiza na liberdade de escolhas responsáveis, cultivando autodeterminação, sendo agente de sua própria educação e projeto de vida.

Tendo o educando como centro educativo, respeitando sua individualidade, levando-o a integrar-se na comunidade escolar, estimulado a assumir seu próprio desenvolvimento. Reconhecendo a importância  de nutrir esforços para inserir o tempo da Escola num tempo cultural e humanizador, que valorize não apenas o domínio das habilidades cognitivas, mas também o conjunto  de outras  habilidades humanas: sensibilidade, comunicação, simbolismo, autonomia, autogestão, corporeidade na apropriação e construção de saberes e valores culturais e éticos.

 

4.Referencial Legal

 

( O proposto ...)

 

4.   Concepções e Fundamentos do Novo Ensino Médio Convencional Diurno

Acreditamos nos princípios Epistemológicos que veem o conhecimento como orgânico, algo que se transforma na interação entre os seres, gerando assim outras concepções da original, sem deixar de considera-la. Oportunizando diversas possibilidades de olhares, abordagens, 

analises e construções de concepções. Vivenciando na íntegra o “aprender a conhecer”. Assim são desenvolvidos os conteúdos conceituais ( a base científica do currículo ). Nesse sentido buscamos nos referenciar nas fontes fidedignas/originais do conhecimento construídas, legados deixados por nossos ancestrais. 

A medida que valorizamos a riqueza de conhecimento construído pela humanidade, ousamos e propomos novas concepções a partir das experiências pessoais com o objeto ( concreto ou abstrato ) do conhecimento baseados em nosso contexto histórico contemporâneo, nossas sensações, sentimentos, e discussões de ideias e pensamentos, nas interações realizadas. Vivenciando o “ Aprender a conviver”, no desenvolvimento dos conteúdos atitudinais ( o currículo em ação ). Utilizando-se das diversificações de saberes, da pluralidade de olhares, de análises, aportando no pensamento ou divergindo de seus pares, constitui-se ou ressignifica conhecimentos, que é o fator preponderante, desejo primordial da escola. 

4.3 Princípios Educacionais 

Consideramos como Princípios Educacionais, a contextualização, a interdisciplinaridade e a transposição. Utilizando em nosso cotidiano, nas mais múltiplas oportunidades de aprendizados, vislumbrando alcançar a diversidade, o autoconhecimento e autogestão, sendo eixo gerador da proposta pedagógica. 

A contextualização proporciona, viabiliza a sensibilidade para identificar as relações que existem entre os conteúdos do teorias e as situações de aprendizagem com os muito contextos da vida social e pessoal, de maneira a estabelecer uma relação ativa, imediata entre o educando e o objeto estudado. Desenvolvendo a condição de relacionar o aprendido a o observado, a teoria com suas consequências, suas aplicabilidades no cotidiano. 

A interdisciplinaridade estabelece uma disposição para perseguir uma visão orgânica do conhecimento, organizando e tratando os conteúdos do ensino e as situações de aprendizagem de modo a destacar as múltiplas interações entre as disciplinas do currículo. A transposição possibilita ao professor a transmissão do conhecimento até o ponto em que o educando gradativamente aumente o seu repertório de referências.

   Aportando em referenciais como: Vygotsky, Jean Piaget, Paulo Freire, Henry wallon, Gardner, Isabel Parolim, Sara Paín, Gikovate, Musashi,

Cursos

Educação Infantil
Educação
Infantil
LEIA MAIS
Ensino Fundamental Anos Iniciais
Ensino
Fundamental Anos Iniciais
LEIA MAIS
Ensino Fundamental Anos Finais
Ensino
Fundamental Anos Finais
LEIA MAIS
Ensino Médio
Ensino
Médio
LEIA MAIS
Atividades Extracurriculares - JUDÔ
Atividades
Extracurriculares - JUDÔ
LEIA MAIS
Atividades Extracurriculares - FUTSAL
Atividades
Extracurriculares - FUTSAL
LEIA MAIS
Atividades Extracurriculares - BALÉ
Atividades
Extracurriculares - BALÉ
LEIA MAIS

Iniciar Conversa

Selecione um dos nossos contatos para iniciar a conversa
Horário de atendimento:
Temporariamente fechado